segunda-feira, 22 de junho de 2015

Protagonista


Não quero respeito porra nenhuma!

Quero que você minta pra mim,
bata na minha porta de madrugada completamente despido.

Quero que ligue desesperado fingindo choro, saudade e amor.

O seu respeito não me alimenta,
pelo contrario, corroí.

Quero ser vítima da sua arte,
um ensaio real para a sua nova ficção,
personagem de uma trama suja, covarde e turbulenta,
protagonista do seu novo roteiro.

segunda-feira, 15 de junho de 2015

Hoje cedo



Hoje é um dia triste, partir nunca foi fácil pra mim...
e pedir para ficar só, quando se quer companhia, é uma língua ainda sem tradução pro coração.

Hoje é um dia triste,
pois te pedi para silenciar sem ter te contado a minha história,
com cada verso já ensaiado e um certo cuidado para não te assustar.

Hoje deixei a solidão tomar conta, a fiz de esteio e acenei para você.

Hoje tive de engolir em um só shot minhas lembranças, planos e expectativas sobre nós.

Hoje acabou nosso tempo e eu nem vi o ponteiro do relógio rodar.

Hoje acordei de manhã e pedi para você nunca mais voltar.
(meio querendo dizer pra você me abraçar mais uma vez, hoje)

quinta-feira, 4 de junho de 2015

Existe explicação?



Há explicação em termos conceitos tão, tão distintos sobre o amor?

Amar sempre me foi um sentimento tão intenso
que jamais me caberiam dois amores,
que jamais poderia ter dois namorados e ama-los.

Encantada com meu grandioso amor
não sobraria espaço/tempo para reparar
nos encantos de outrem.

Acredito sim em diferente amares,
mas não na partilha de amor.

Ou você ama alguém,
ou nenhuma dessas duas é o seu verdadeiro amor.